ESPAÇO DE APOIO A INFORTUNADOS, MISERÁVEIS E DESGRAÇADOS EM GERAL
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009
Hoje acordei assim

 

Por isso decidi rumar ao cabeleireiro e resolver o problema. Acontece que o serviço que uso - uma coisa muito fashion, muito Lux - é de uma profissional que tem um cãozinho e uma cadelinha dentro do estabelecimento. Ele chama-se bolinhas, ela pantufas, e têm ambos a pujança física de uma cebola cozida. Acontece que, assim que entrei no estabelecimento, o filho da puta do bolinhas se atirou às minhas pernas, saboreou um bocado das minhas calças de ganga e quis experimentar um bocado da carne. A primeira ideia que me ocorreu, para ultrapassar aquela falta de empatia entre espécies, foi trespassar o crânio do canídeo com uma barra de ferro e puxar-lhe os testículos até aos dentes que haviam sido cravados na minha perna. Desta forma, as contracções da boca, originadas pela invasão do cérebro pela barra metálica, deveriam fazer com que o animal devorasse os próprios órgãos reprodutores. Mas, em vez de seguir este pensamento lógico, optei por um caminho contranatura: fazer o meu melhor sorriso amarelo e esperar que a dona tirasse o bolinhas dali para fora. O que um gajo não atura por um corte de cabelo de oito euros.



publicado por João às 01:24
link do post | comentar | favorito

Correio
carpideiras@sapo.pt
Subscrever
arquivos

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds