ESPAÇO DE APOIO A INFORTUNADOS, MISERÁVEIS E DESGRAÇADOS EM GERAL
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008
O que um gajo aprende na Wikipedia

Um dos principais argumentos contra a o projecto de alta velocidade ferroviária é o exemplo de países como Irlanda, Noruega, Suécia ou Finlândia: são todos mais ricos que Portugal e não têm TGV. É uma comparação no mínimo duvidosa. O TGV só faz sentido quando se pensa em percorrer grandes distâncias e, por constrangimentos geográficos, nenhum daqueles países tem para onde expandir uma hipotética rede de alta velocidade. A Irlanda é uma ilha. A não ser que queiram fazer um túnel do comprimento do Alentejo pelo Atlântico dentro, não lhes serve de muito terem comboios rápidos. O mesmo se aplica aos países escandinavos, apesar de não serem ilhas: só avançando pelo Mar Báltico ou pelo Mar do Norte os comboios seriam competitivos nas ligações ao resto da Europa. E estas coisas custam uma porrada de tempo e dinheiro. O túnel da Mancha, com uma extensão de 50,5 quilómetros, demorou sete anos a construir e custou 12,9 mil milhões de euros, mais do que toda a rede de alta velocidade prevista para Portugal. Não é por acaso que os principais impulsionadores do TGV estão em terra firme, no centro da Europa.



publicado por João às 02:02
link do post | comentar | favorito

Correio
carpideiras@sapo.pt
Subscrever
arquivos

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds