ESPAÇO DE APOIO A INFORTUNADOS, MISERÁVEIS E DESGRAÇADOS EM GERAL
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009
Lições da vida quotidiana

Nos últimos anos - que coincidiram com o início da minha vida profissional - cheguei à conclusão que deve haver uma quantidade enorme de casais cujos elementos têm "amigos especiais" no trabalho mas que, ao fim do dia, vão para casa cumprir de forma irrepreensível a função de namoradinha/o zelosa/o. Acho que me causará sempre alguma impressão a capacidade de fazer esse jogo de cintura sem grande peso na consciência e sem ponderar as consequências noutras pessoas. Mas constatei que é algo banal, para muitos. Afinal de contas, dar umas voltas sem que o outro saiba pode não ser a actividade mais adequada para meditar sobre a dimensão ética do indivíduo, o phatos e essas merdas do tempo do Aristóteles ou de um outro grego qualquer. Não deixa de ser curioso, contudo, que as principais expressões pejorativas contra quem tem este tipo de comportamento sejam retiradas do reino animal - vacas, cabras, cabrões e por aí fora - quando grande parte da humanidade incorre nesta forma de coexistência. Quanto a mim, depois da perturbação inicial, constatei que a indiferença é um bom caminho para lidar com este universo. Há coisas melhores para conhecer na vida. Adiante.



publicado por João às 01:10
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 6 de Julho de 2009
1,618

Leonardo Fibonacci era um matemático italiano que gostava de contemplar a natureza. Como no século XIII não havia canais televisivos exóticos, começou a pensar na forma como os coelhos procriavam. Concluiu que, em condições ideais, uma população daqueles animais que começasse com um par de coelhos cresceria de acordo com a seguinte sequência: 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233, ...

 

Cada número resulta da soma dois anteriores. E, a partir de determinado ponto da sequência, dividindo um número pelo anterior, o resultado arredondado é sempre 1,618. Este valor ficou conhecido por proporção divina, porque muitos elementos da natureza evoluem segundo a fórmula de crescimento exponencial que Fibonacci identificou. Há plantas e insectos cujas formas que se desenvolvem segundo este padrão de crescimento, as distâncias entre vários pontos do corpo humano podem ser medidas com base no rácio 1,618 e talvez não seja por acaso que a minha pila fica daquele tamanho quando tomo banho de água fria.

  

Nos mercados financeiros, há quem use fórmulas matemáticas baseadas na proporção de Fibonacci para calcular quanto é que as bolsas poderão subir ou descer. Claro que, no caso da bolsa, é o equivalente a ir a Fátima de joelhos e pedir para acertar no Euromilhões. Como explicou Francisco Louçã através de um complexo teorema, se pusermos dois coelhinhos numa toca não sai de lá uma nota de vinte. Mesmo que sejam os coelhinhos de Fibonacci.



publicado por João às 03:35
link do post | comentar | favorito

Correio
carpideiras@sapo.pt
Subscrever
arquivos

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds